ENTREVISTA ao Blog “MASELHA ALVES”

28-05-2020

ENTREVISTA ao Blog "MASELHA ALVES" de Maselha Alves do Escritores do Amanhecer - Projeto Estrela de Conteúdo (28 de maio de 2020)

Maselha Alves: Olá Pedro Vale, é uma honra em está conosco no Projeto do Escritores do Amanhecer Estrela de Conteúdo e hoje conversaremos um pouco da sua obra, do seu trabalho e etc. Então, o livro azul instantâneo é uma arte incrível eu amei ler ele, confesso que reli por 3 vezes e eu viajo na leitura e a dinâmica das palavras é divina, agora me fale, como foi a montagem da arte deste livro?
Pedro Vale: Eu tinha uma ideia muita clara em relação ao livro-objeto. Queria um equilíbrio entre os textos e o exterior. Para tal, contratei um bom designer que, a meu ver, elevou a obra a uma dimensão plástica e artística.

Maselha Alves: como foi os processos da escrita?
Pedro Vale: Durante três anos dei por mim a escrever no celular sempre que sentia um impulso. Partilhava pensamentos no Facebook sem ter corrigido e gostava da sensação de ter um retorno imediato do outro lado, mesmo sendo só para 15 ou 20 pessoas que estivesse a escrever.


Maselha Alves: Quando li achei os poemas bem conectados, entrei numa veracidade imensa que pude sentir as palavras, pude imaginar cenas da poesia e cheguei a ilustrar até o que me fez captar que a poesia foi elaborada perfeitamente. Como elaborou para termos esta imaginação de forma impecável?
Pedro Vale: Foi só quando me apercebi da quantidade de textos que havia produzido que surgiu a ideia de os compilar. A maior parte deles eram poesias visuais ou experimentalismos, mas havia também alguma poesia mais lírica, filosofia, micro contos, observação e até haicais... Difícil foi o processo de seleção e composição do Azul Instantâneo!


Maselha Alves: Como se sente em alguém está lendo o seu livro sem ser do seu território nacional (Portugal)?
Pedro Vale: Tem sido magnífico ser lido em vários países de expressão portuguesa. A minha aposta é o Brasil, país que sempre me fascinou e espero continuar a aprender sobre a sua cultura todos os dias, através do contacto com os leitores, seguidores, autores e artistas que vou encontrando nas redes sociais aquando da divulgação do Azul Instantâneo. A obra tem sido muito acarinhada pelos leitores brasileiros e faz-me sonhar com a possibilidade de ser lida cada vez por mais pessoas.


Maselha Alves: Eu amo demais a poesia e atualmente ao menos aqui no Brasil, eu não vejo muito livro de poesia sendo publicado o que me entristece um pouco, mas por ai como há muitos livros publicados deste gênero?
Pedro Vale: Em Portugal a poesia é lida por um nicho reduzido de leitores, mas leitores vorazes, pelo que me tenho apercebido. Se pesquisar por editoras independentes brasileiras, irá encontrar imensas e várias dedicam-se quase exclusivamente à poesia. Há a poesia de cordel que é muito tradicional e há fenómenos como os saraus em que imensas pessoas se juntam para celebrar a poesia. A poesia tem a sua importância tanto em Portugal como no Brasil e, mesmo não sendo mainstream, tem uma importância enorme na sociedade.


Maselha Alves: Qual foi a parte mais difícil em escrever esta obra?
Pedro Vale: Costumo dizer que compor o Azul Instantâneo e agora divulgá-lo são bem mais difíceis do que escrevê-lo. Tê-los escrito foi uma necessidade e um prazer ao mesmo tempo.


Maselha Alves: Quando mostrou seu trabalho ao amigos, famílias, como foi a reação deles?
Pedro Vale: Esse processo ainda está a acontecer. Vendi 400 exemplares em três meses e muitos amigos e familiares nem tiveram oportunidade de o comprar. Mas, ficaram espantados uns. Outros, por não estarem familiarizados com a linguagem poética, um pouco desconfiados. Os que liam literatura lá fizeram um esforço para perceber a obra e, alguns, entretanto, já se entusiasmaram a ponto de começarem a procurar incluir a poesia nas suas leituras. Contudo, a família e os amigos foram o grande suporte inicial do Azul Instantâneo. Sem eles, não estaria onde estou hoje.


Maselha Alves: Para finalizar o que o livro Azul Instantâneo pode ensinar, mostrar, qual a mensagem que o livro traz?
Pedro Vale: A magia da poesia é cada um sentir sensações e emoções completamente diferentes dos demais leitores. Visitei já dez escolas onde incentivei os jovens a serem mais criativos dentro e fora das redes sociais. As palavras-chave do Azul Instantâneo creio serem a criatividade, a autenticidade e a liberdade. Acrescentaria a reflexão. Estou certo que ninguém lhe conseguirá ficar indiferente. Muito obrigado pela oportunidade! 


Maselha Alves: Muito obrigado por ter participado, saiba que amei demais sua obra, bela poesia, seu livro é inspirador, é como um portal em que você entra e encontra um mundo perfeito sabe, mas saiba que o intuito é esse, é mostrar aos escritores o valor do seu trabalho e se inspirarem em ti.


Para aceder diretamente dirija-se ao seguinte link: